logo

Copyright ©2021 REDLARA

Registro

REDLARA: Registros Anuais

Comemorando 30 anos de TRA na América Latina; e  relatório de 2018 
Fernando Zegers-Hochschild, Javier A Crosby, Carolina Musri, Maria do Carmo Borges de Souza, A Gustavo Martínez, Adelino Amaral Silva, José María Mojarra, Diego Masoli, Natalia Posada, em nome da Red Latinoamericana de Reproducción Asistida (REDLARA)
Esta é uma análise de tendências ao longo de 30 anos, incluindo quase 1 milhão de ciclos de TRA iniciados e 238.045 nascidos vivos na América Latina desde 1990. As mudanças na idade da mulher, o número de embriões transferidos, assim como o impacto da vitrificação, PGT,  transferências em blastocisto e transferências eletivas são examinados, ao longo do tempo. Finalmente, o impacto deste programa de cooperação Sul-Sul é avaliado. 
ABSTRACT 
Pergunta: Quais são as tendências em características dos pacientes, eficácia e segurança dos tratamentos de reprodução assistida (TRA) realizados na América Latina nas últimas três décadas, bem como os resultados detalhados dos procedimentos iniciados em 2018? 
Desenho: Análise retrospectiva de dados multinacionais, incluindo epidemiologia e resultados dos TRA realizados entre 1990 e 2018. 
Resultados: Durante esses 30 anos, relatamos 955.117 ciclos iniciados, 191.191 partos e 238.045 recém nascidos. Em 1990, 66,5% das mulheres eram ≤34 anos e 8,7% eram mulheres de  ≥40 anos; em 2018, 26,4% das mulheres eram ≤34 anos e 32,0% eram mulheres de  ≥40 anos. Em 1990, 60,4% das transferências incluíram ≥3 embriões, caindo para 13,5% em 2018, e a transferência única de embriões (SET) aumentou de 13,8% para 30,4% entre 1990 e 2018. A taxa de parto por transferência aumentou de 17% em 1990 a 25% em 2018, com uma queda significativa em partos múltiplos de alta ordem, de 5-9% nos anos 90 para 0,4% em 2018. Esta queda está associada ao aumento do uso da transferência de embriões congelados (FET), 57% em 2018, em comparação com 10% em 2000. Em 2018, a taxa de parto em FET foi de 28,3%, atingindo 31,2% em ciclos de criopreservação total; e a taxa cumulativa de parto (fresco + FET) foi de 41,9%. O SET eletivo também aumentou, de 0,9% em 2010 para 10% em 2018. A taxa de parto em SET eletivo (31,7%) foi apenas 5,4% menor que a transferência eletiva de dois embriões (eDET) (37,1%); entretanto, os partos múltiplos aumentaram de 2,1% em eSET para 25,5% de gêmeos e 0,4% de trigêmeos em eDET. 
Conclusão: O Registro Latinoamericano de Reproducción Asistida (RLA) celebra 30 anos de relatórios voluntários de um total de quase 200 centros em 15 países. Esta rede de cooperação Sul-Sul provou ser um sistema eficiente e seguro para a transferência tecnológica e o crescimento regional. 

 

Acesse o documento .pdf clique aqui.

Tudo sobre registro.

Registros anuais.

Tem alguma dúvida?

Estamos a sua disposição.

P9UT